segunda-feira, dezembro 15, 2008

“ Se gritar pega ladrão, não fica um, meu irmão.”

Zé Catimba ( originais do samba)

Mas estes aí do corpo legislativo deste país, de tão cínicos, são capazes de assobiar e fingir que não é nem com eles. E fazem. É entre esta categoria de gente que se descobre os tais cuja conduta e por cujas palavras tenho a menor consideração. ( Abro este para esclarecer que tal é o sei lá o quê que sinto a ponto de me agradar mais a companhia de leprosos e suas mazelas aparentes que a destes senhores do senado e adjacências) Tenho notado que a excelência, entre eles, se dá conforme a moda vigente, a saber; a ambição humana, o trivial, a mesma porcaria de sempre. Diante desta patifaria rasgada, dá-me tal mal estar e vergonha de pertencer a mesma espécime destes pulhas que, acho mesmo, melhor cortar os pulsos, beber estricnina, me jogar de pontes. Pornografia pesada é esta que se lê nos jornais, nas revistas politizadas, o resto é playboy, coisa de menino.

4 comentários:

Lou Mello disse...

Eles não mereceriam, jamais, atos dessa nobreza. Melhor homenageá-los com nossa indignação e menosprezo, a melhor maneira de tratar o inimigo.
Até que enfim, hein? Apareça.

Rubinho Osório disse...

Ora, ora, quem é vivo sempre aparece (Millor diria: quem é vivo, uma hora morre!)
Um prazer e um embrulho no estômago ler tuas letras afiadas a escancarar o que pensamos quietinhos: que são um bando de pulhas da mais baixa categoria.
Mas não me sinto impulsionado ao suicídio, e sim, ao "politicocídio". Deus me perdoe, mas que dá vontade, dá!!!

bar disse...

sobre o fator MORAR NO RIO, é disso que estamos falando, mais?

Hernan disse...

Estou aprendendo a conviver com as contradições do ser humano. Esses caras são desprezíveis por essas coisas que fazem, mas quem de nós não o é em alguma medida?
Estou procurando um caminho...