terça-feira, outubro 07, 2008

Para morrer de rir.

Minha retina com seus bastonetes e cones sensibilíssimos à luz, mais uma vez converteram as imagens que estão amontoadas no mundo se valendo dos mesmos padrões de impulsos nervosos para transmitir pelo nervo óptico terríveis paisagens à meu cérebro. Quando finalmente o órgão encarcerado no crânio processou todas as imagens, formou-se um retrato grotesco da minha existência. Senhores, minha vontade era de chorar mas o saco lacrimal devia estar entupido.

7 comentários:

Rubinho Osório disse...

Há quanto tempo!!!
Realmente tem horas que melhor seria ser cego... que horror! Ou, pelo menos, chorar.
Mas, só dá pra rir mesmo... às gargalhadas!

Lou Mello disse...

De minha parte, sua existência é muito importante. Sou capaz de apostar que tenho muita companhia neste sentimento. Certo? Mas sua descrição detalhada sobre como isso se dá está dez.

Thiago Barbalho disse...

Entendo.

Gisele disse...

Menina... senti saudades tuas esta noite... pode ser?

Anónimo disse...

Uau.Excelente descrição!!Isso já aconteceu muito comigo!

Juvenálvaro

Lux Luxo disse...

Adoro essa bajulação!
Acho todos vocês o máximo!

Hernan disse...

Wow!!