terça-feira, maio 29, 2007

A onipresença.


Há muito tempo atrás estava numa locadora tentando convencer F. de que valia grande coisa assistir ao Filme dirigido por H. C. Potter, estrelado por Ginger Rogers e Fred Astaire, sobre a vida da dupla de bailarinos Irene e Vernon Castle. O moço não aceitou minha sugestão e isso inflamou meu ego, fazendo com que eu elaborasse um discurso de última hora sobre a verdadeira necessidade de arrumar um par e questionasse os possíveis valores agregados de um namoro. Ali mesmo cheguei a conclusão de que não valia a pena continuar com aquela empreitada, que a individualidade só servia para criar diferenças que acabariam por destruir qualquer acordo de romance e que por fim namorar era inútil. Não sei de onde saiu a Tônia Carrero, mas ela se intrometeu na conversa e sugeriu que a melhor coisa da vida é namorar. Pois sim, devo acreditar nisso me apoiando apenas no relato da atriz? Não importa, isso já é passado e eu nem tenho mais penduricalho ( talvez por ser uma chata). Na verdade a lembrança me ocorreu por que estava numa farmácia do J. Botânico, depois de sair do consultório, conversando com o atendente( por quê farmacêutico na farmácia é artigo raro) sobre a minha loucura por antibióticos quando a Tônia Carrero surgi do nada para colocar suas considerações sobre os antibióticos e como os considera maléficos, e como acha pouco apropriado que eu, tão jovem, foi como colocou, tivesse um hábito nada saudável. Eu fiquei lá com essa minha cara de tacho imaginando em que outra ocasião aparecerá novamente Tônia para meter o bedelho nas minhas singelas convicções e desconectar meus hábitos.

7 comentários:

Lou Mello disse...

Nossa como você é sortuda. Comigo, além de intrometidos ou intrometidas, são todos uns ilustres desconhecidos. Geralmente, senhoras e senhores de muita idade e que precisam de um bom ouvido para destilar seu veneno. Talvez tenha sido o caso da Tônia com você. Mas foi muito mais charmoso ela se intrometendo em sua vida, do que qualquer um. Certo? :D

contra disse...

Jesus Cristo, como a Tônia Carrero parece uma múmia com paralisia facial! Se ela me aperecesse numa locadora ou mesmo numa chapação trivial viraria budista ou qq outra dessas religiões escrotas.

fábio françois disse...

a tônia carrerro é o seu grilo falante! =)

Lux Luxo disse...

Ah, F. François, numa das vezes que ela apareceu o senhor estava lá, lembra?
Contra, você me fez lembrar do E. A. Poe.
Lou, meu estimado, meu querido, verdade, só você pra sempre ver o lado bom das coisas.

Dyego Saraiva disse...

é engraçado isso de uma pessoa aparecer do nada, falar umas 'verdades' e sair. Parece coisa do Monty Python ou daqueles filmes-besteirol dos anos noventa, tipo Top-Gang. Aqui nunca brotou do chão uma criatura dessas, mas se acontecesse eu ia rir muito.

bar disse...

de minhaparte,cansei. nada é mais útil pis que a inutilidade,
etc.

Leandro Ravaglia disse...

Tônia Carrero é a Hebe no túnel de vento. Visualizou?