quinta-feira, março 22, 2007

Hoje eu não comi pão com manteiga na chapa, mas...

Fiquei lembrando de minha brilhante trajetória, me pregando na parede do útero da mulher que anos mais tarde, após me expelir neste mundo, iria ser deposta do cargo de mãe por mim, que nunca a suportei, nunca. Depois, ouvindo o Tim Maia, rememorei tudo que se seguiu; minha triunfal saída do manicômio, depois do diagnóstico de esquizofrênica, que foi engolido pelo médico negligente. Dormi ao lado de uma banca de jornal por que não podia retornar a casa monstro. O resto já se sabe, eu acho todo o mundo louco.

5 comentários:

Lou Mello disse...

Eu também acho. Mas sou bem louco, igualmente.

contra disse...

Tudo isso é uma questão semântica: mude o nome da doença, muda-se o mundo.

Lux Luxo disse...

Na verdade, de minha parte, reconheço, há muita afetação e recalque.

Bárbara disse...

de minha parte, já pende pro gostar, aí destrilha tudo.

T. disse...

Lú, quer dizer que suas palavras sobrevivem ? E aqui se encontram? Que coisa ótima. Daqui a pouco eu volto com mais calma.