quarta-feira, setembro 28, 2005

Assim, porque és morno, não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca. Deus. Então já não penso mais do mesmo modo que pensava em meu último post. Fui repreendida pela minha consciência e, de certa forma, pelo próprio Deus. Todos hão de concordar; extremistas são de morte e o em cima do muro não passa de uma pobre besta, de morno. Não quero nem entrar em detalhes da maneira preconceituosa com a qual conduzi o assunto que, diga-se de passagem, nem vinha ao caso. Recolho-me a minha bestialidade e vou fazer carreira messiânica noutra freguesia. Queiram me desculpar, eu realmente sinto muito.

Sem comentários: