quinta-feira, junho 02, 2005

Aqui está uma investida platônica.

Fico impressionada, verdade. Acho o povo ambicioso interessante, e o povo ambicioso me acha simplória. Que seja. Tenho pouca instrução para entrar numa dessas filas de casas lotéricas, mas admiro estes apostadores esperançosos. Acho até meio lúdico, sério. Por outro lado, é curioso não ter notícias de nenhum ganhador desses mega prêmios, salvo quando um destes supostos sortudos vêm à público por causa de algum escândalo. Enfim, quero dizer com isso que acho tudo muito suspeito. Afinal de contas, como diz seu Jorge; - Moro no Brasil. Há fraude até nos Correios! Se torna um joguete, digo, um jogador da loteria, aquele que dispõe de uma combinação de números para cunhar no volante. esse volante será entregue à caixa da loteria que lhe cobrará uma ‘pequena’ taxa, mas é assim que a galinha enche o bico. É um desgaste intelectual tremendo, não é p’ra mim. Superada esta odisséia, o cidadão vai para casa planejar o futuro. Há tantas coisas p’ra se ter, tantas novidades tecnológicas, imóveis ou móveis, abjeto, digo, objetos. Enfim, coisas. Lugares que ainda não lhe conhecem, restaurantes. Não sei o quê tem quem; se coisifica o humano, se humaniza as coisas. fica assim, tudo coisado. As pessoas, de posse da fortuna, se ‘etiquetam’. é exigida nova postura, moral tal, bons costumes. ( Da boca, é uma lindeza!) É, sou mesmo da ralé, pois, acho tudo isso muito exaustivo. Agora, a instituição responsável por essa jogatina abismal, querendo angariar nova leva de apostadores, teve a desfaçatez de lançar aquela propaganda assombrosa. O mascote da loteria tem voz de idiota, tem cara de imbecil e, pasmem, simboliza o apostador. Cruz! São milhares de combinações numéricas possíveis, a matemática é infinita. Em fração de segundos um computador seleciona a ordem de seis dezenas ignorada pelo apostador( aí também há milhares de outras combinações numéricas). Esta combinação deve admitir até dez dezenas, de um à sessenta. Resumindo; depois de a conta feita, a probabilidade de um apostador acertar a sena com um jogo simples, de seis dezenas, é 50.063.860. Ainda não tivemos um prêmio deste tamanho. No dia do sorteio, para se caracterizar a idoneidade do concurso, televisionam a coisa toda. Os sessenta números estão dispostos em bolinhas brancas, que são guardadas num globo gaiola grande. Seis dessas dezenas são puxadas por meio de sistema imã. As bolinhas que correspondem as seis dezenas que o computador selecionou são imantizadas. Aí de mim, que creio em Deus.

Sem comentários: