segunda-feira, novembro 08, 2004

Dou-lhe toda liscença, caríssimo Chico Buarque, podes passar, tens o meu consentimento, meu amor por ti é abnegado, aceito de um tudo do objeto adimirado. A tu não, Vinicius imoral, fique onde está, nem mais um passo nesta direção, cansei-me de ti, de tuas rimas da mesma viscera. Me alegro em saber que te encontras numa gaveta, uns ossinhos. Digo essas coisas sem medo de represálias póstumas, tal qual um Antônio Torres contra um afrescalhado João do Rio, assim conhecido, pois, lhe tenho asco. De certo o meu idolatrado Chico não repartirá comigo tal opnião, pois alma generosa esquece, ou por não ter memória desta época, que a grande bunda viniciusana quase te rouba o sopro da vida e deixa o pais de terceiro mundo inoscente de tuas letras quando ainda em seus poucos dias de ar respirável. Minha mágoa é recente, mas já tomei providências exageradas para não incorrer no engano de me fazer consolar das dores patéticas de amores fracassados com as letras indescentes de Morais, estou doando as edições de escritos seus que moravam na Biblioteca Verônica Dobal ao lixo, posto que é porcária, não encontrarei mais sereventia, nem demosntrarei reverências a tua pessoa por mim já esquecida. Não espero que me acompanhem, em geral é comum ser odiado quando se achincalha alguém consagrado, mas os de alma nobre não descerão de seus pedestais para proferir insultos contra minha execrável pessoa em nome da honra do poeta falecido, pois, é desnecessário, além do quê podem se valer de ditado bíblico para me desprezar. ----------------------------------------------------------------- Grandes Frases. " Se foi amputada é por que estava podre." Julia. " Eu não sei, estou puta!" Crica. " Você inventou de estudar só pra fugir da cozinha." Papai. " Toda arte é *sissí." Irmã. * Sissí; gíria utilizada entre os membros da liga familiar para designar algo estrambótico ou burlesco. -----------------------------------------------------------------

Sem comentários: