quarta-feira, julho 21, 2004

Me dá licença poética, mas...

Buá. as coisas estão diferentes, mas entranhas tudo estranham, sentem caláfrios e dores, não de parto que é quando chega, mas de parto quando alguém vai. por que nada deveria ser mudado, tirado de lugar, eu não aguento, sempre fracasso e choro, choro horrores. mas veja companheiro, ela me gosta, não dúvido, e aí dela se duvidar de minha bem-querença por ela, mas a amizade, eita, essa se metamorfoseia, está se acabando, feito vidro de acetona que alguém deixou aberto, volátil demais esse amor. não posso mais, enxergo bem, cofessar-lhe meus segredos, meus medos, estou sem amigo, céus, que será de mim? Ai, que pode ser boa essa mudança, que posso manter-me forte, sem choranças me molhando e irritando os outros. é disso que falo, acabou-se o que era doce e azedo por vezes, mas que esticava no rosto um sorriso de aguento mais um pouco. eu ia dizendo não vai não, mas a coragem era pouca, outro medo de ouvir adeus, me largue, estou com pressa. Droga, tudo está se acabando, e meus cigarros mentolados, a souza cruz mandou acabar, e eu, não, não, volte aqui, no chão, tentando reter restos, não querendo que acabe, mas é verdade e com certeza, tudo acaba, e não é na pizzaria, pois, quede os amigos? Olha, alguém vai ter de ficar comigo, alguém deve de ser responsável por mim, é o fim do mundo e eu não consegui ter um amigo, estão todos escapando, e de mim. eu sei, foram meus atrasos, foram meus resmungos. ai, que eu não sei prometer promessas de nunca mais, só sei dizer desculpas, de tão usadas, esfarradas. afe maria , isso é triste, devora, repare como a palavra já vai abrindo a boca, é triste demais da conta. ói amigo, estes meus modos ressentidos não tem cabimento, eu sei, pois era tu que me devia encher, eu bem que mereço, de coisas assim, mas que não me deram atenção, e eu endoideci, doente que só, tão carente de gente desocupada, feito eu. me perdoa o atraso seguido da falta, isso é pra te comover, é pro povo saber que lamento não estar meio dia embaixo de sol, te esperando. ***** Dona Barbara, aquele seu email, hum, tem algum caractere a mais nele.

1 comentário:

Bárbara disse...

ah, claro. é o br depois do pontocom