quinta-feira, junho 24, 2004

Para Dot

É certo, eu parei de rir. não que não hajam "palhaços" por aí ou que não seja engraçado tropeçar absorta no batente do outro lado da rua, mas não consigo rir. Olha, a souza cruz mandou acabar com meus cigarros mentolados, fechou o bar que eu costumava ir, é inverno e o Rio tá uma droga, não tem graça a desgraça d'agente. Não se ri atoa, não. mas também não hão motivos pra chorar. Enxuga esse rosto menina, antes que alguém te veja aí! ***** Esse sistema de comentários tá dando o que falar, até eu tenho de colocar senha pra dizer qualquer besteira. ora, nem era segredo nem nada! Pois é Trosco, esse blog tá o samba do crioulo doido. igualzinho ao outro. ***** No que concerne à solidão que tanto aflige a natureza humana e sua necessidade de ter a todo tempo quem o bajule, afim de que seja testemunhado pelo maior número de pessoas o quão genial sabe que é, tenho a dizer pouco, pois, ainda não me deixaram em paz. É sabido por toda gente que se esparrama no coração do homem paixões constrangedoras que fazem rir até quem foi pego de calça nas mãos, e é em nome dessa troça que não se adimite que alguém possa ser feliz só. luto para me convencer do contrário, mas sou débil demais para não me infectar com a imbecilidade humana. Que vou eu buscar em reuniões de parameciuns? respondo prontamente; chateação. céus, me comporto feito uma debilóide por que não sou capaz de entender que não tenho de andar com penduricalhos, que não vou deixar de existir só por que ninguém me ouviu, já que todos só estão interessados em seus próprios cacarejos. não sei o que pretendia quando me dei por gente, mas com certeza não era ser coitadinha. É, vejo que dentre em pouco, terei minha tão cantada paz. já que me mostro tão monstra, quem não me verá como não sendo inimiga? talvez fosse melhor guardar p'ra outra ocasião meus modos ressentidos. ( eu, em um raro momento de sabedoria.)

1 comentário:

Bárbara disse...

olhe, é isso, isso exatamente, metricamente falando, palavricamente comentando, que me prende em gostância aos postulados seus, tão-tãos. letrinhas sequenciadas, soltas e boas. transuêntes, felizeiras, fluênti-vazantes, como?
e enquanto aquela sua ausência do mundo bloguístico, a falta se fazia. Estou nutrida agora. Cuide de não sumir tantão daquele jeito mais. gostadeira, que sou, exijo! porque sumindo letrinhas, resta o quê? procuro "Lú" rua acima rua abaixo? ah, que o Rio é um Rião.

boa volta, e excelente permanência pra tu.

(de grande verdade, sério mesmo, sinceridade franca.
bar-leitora)